Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Artistas sobre rodinhas

Artistas sobre rodinhas

Categoria: Desporto
Comentários: 1
Artistas sobre rodinhas

A patinagem artística é um desporto apreciado num crescente número de países, mesmo que não possuam ringues de gelo. Nestes casos, utilizam-se patins de quatro rodas, como no hóquei.

A primeira patente de patins de rodas paralelas data de 1760 e foi atribuída a John Joseph Merlin, belga. Acontece que o invento não teve grande adesão, já que eram bastantes instáveis e “despistavam-se” nas curvas. Somente em 1863 estes “sapatos com rodinhas” se difundiram, depois de o norte-americano James Plimpton os ter aprimorado. Surgiram, então, o hóquei, as corridas de velocidade e a patinagem artística.

A patinagem engloba quatro modalidades: figuras, dança, patinagem livre e patinagem de precisão. Na primeira, o patinador tem de andar sobre figuras desenhadas no chão, que podem constar de círculos, loops (pequenos círculos com um loop em forma de lágrima no cimo), serpentinas (conjuntos de três círculos, em que o patinador anda aos “s”) e parágrafos (o atleta patina sobre dois círculos completos). Existe um júri que avalia de 0 a 10 a postura, o equilíbrio, a qualidade dos empurrões e a precisão com que segue as marcações. Esta pontuação também é válida para as outras variantes.

No que se refere à dança, o patinador pode praticá-la individualmente ou em pares, e divide-se em três segmentos: danças obrigatórias (passos pré-definidos), dança original (dois ritmos entre uma panóplia seleccionada pela Federação Internacional de Patinagem (FIRS) todos os anos) e dança livre.

A patinagem artística livre é uma demonstração de piruetas e saltos, escolhidos pelo(s) patinador(es), que também escolhe(m) o ritmo que o(s) acompanha(m), em conformidade com o que ocorre com a patinagem artística no gelo. Talvez seja a vertente mais popular. Ajuíza-se o programa de saltos, mas igualmente a expressividade dos movimentos e a fluidez do acto de patinar.

A patinagem de precisão constitui uma nova variante da patinagem. É praticada por uma equipa composta por 12 a 24 artistas que patinam a alta velocidade, executando figuras. Tanto nas linhas, como nos círculos, quadrados, cruzes, e restantes súmulas, os movimentos de todos os elementos devem estar perfeitamente sincronizados.

O campeonato mundial é organizado pela FIRS, sendo que o Europeu e a Taça da Europa são monitorizados pela Confederação Europeia de Patinagem (CERS).

Para patinar, é suficiente dispor de um espaço lato, cujo piso seja regular e plano, e o menos escorregadio possível, por causa das quedas. Não obstante, e porque estas se afiguram como inevitáveis, o piso não deve ser abrasivo, senão é o “três em um”: patinar, cair e abrasar!



Maria Bijóias

Título: Artistas sobre rodinhas

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

737 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Yuri SilvaYuri

    02-07-2014 às 00:52:26

    É uma grande emoção assistir às patinações de gelo. Que lindo! Esses artistas de rodinhas são fantásticos! Adoraria ver de pertinho suas apresentações tão perfeitas!

    ¬ Responder

Comentários - Artistas sobre rodinhas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

O meu instrumento musical avariou!

Ler próximo texto...

Tema: Instrumentos Musicais
O meu instrumento musical avariou!\"Rua
É inevitável que, mais cedo ou mais tarde, um instrumento musical precise de reparação.

Mesmo que conheçamos bem o nosso instrumento e o consigamos arranjar, na maioria das vezes é necessário um técnico para o fazer com a melhor das qualidades.

Eventualmente, nem será necessário existir um problema com o instrumento, poderá ser apenas uma questão de manutenção. 

No caso de uma guitarra, por exemplo, qualquer instrumentista é perfeitamente capaz de substituir uma corda partida e tirar da guitarra o mesmo som que ela tinha.

No entanto, existem reparações, seja uma amolgadela no tampo ou uma tarraxa arrancada, que convêm ser feitas por técnicos especializados.

Por norma, as próprias casas que vendem instrumentos musicais efectuam essas reparações ou são capazes de aconselhar técnicos para as fazer.

Mediante o instrumento musical em questão, a reparação ou manutenção poderá ser mais cara. É sempre mais fácil arranjar um técnico que repare um piano do que um que arranje oboés.

Apesar de ser normal cuidar do nosso instrumento musical regularmente, os percalços acontecem todos os dias. Para os contornar, há sempre alguém que nos poderá aconselhar melhor do que nós próprios.

Apesar de poder sair mais caro, temos também a certeza de que o nosso instrumento foi arranjado por especialistas no assunto.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:O meu instrumento musical avariou!

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • luiz fabiano 18-02-2012 às 15:48:28

    boa tarde amigos preciso de um cabo flex da lcd da camera g70 se aulguem tiver mande um email obrigado

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios