Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Desporto > Alimentação e desporto de mãos dadas

Alimentação e desporto de mãos dadas

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Desporto
Visitas: 4
Comentários: 1
Alimentação e desporto de mãos dadas

As regras de uma boa alimentação para desportistas, embora semelhantes às de qualquer outra pessoa saudável, devem assentar na rigorosa observância das facetas quantitativa (em termos de calorias totais) e qualitativa (repartição dessas calorias por hidratos de carbono, gorduras, proteínas, minerais, água e vitaminas), assim como na distribuição dos alimentos ao longo do dia. Na verdade, os princípios para uma alimentação correta, eventualmente enquadrada em ração de treino, ração de competição e ração de recuperação, são função do programa de treino.

O plano alimentar deve ser calculado em conformidade com as necessidades energéticas, estabelecidas a partir do metabolismo basal, do trabalho muscular, da regulação térmica, do crescimento (infância e adolescência) e da energia consumida com a digestão e absorção dos alimentos.

É unânime que os hidratos de carbono constituem o mais importante nutriente para atletas em situações de resistência, dado que a glicose (armazenada nos músculos e no fígado sob a forma de glicogénio) é o principal substrato para a obtenção de energia. A exaustão decorrente da atividade física pode levar ao decréscimo, ou mesmo ao depauperamento, das reservas de glicogénio.

Quanto maior for o intervalo de tempo entre a ingestão e o exercício, maior deverá ser a porção de hidratos de carbono com índice glicémico baixo ou médio (maçãs, feijão, iogurte natural, …), e quanto menor for esse tempo, ou até durante a própria atividade física, maior a proporção de hidratos de carbono com elevado nível glicémico (mel, batatas fritas, …).

A preparação das refeições deve visar a facilitação da digestão dos alimentos (preferencialmente cozidos ou grelhados) e o bom aproveitamento dos nutrientes. É aconselhável que o desportista faça cinco a seis refeições por dia: pequeno-almoço, meio da manhã, almoço, lanche, jantar e ceia.

Uma boa hidratação também é fundamental, não só para aumentar o rendimento do atleta, com para evitar determinadas lesões desportivas (como ruturas musculares e tendinites). A quantidade diária de água a administrar depende do trabalho muscular, da temperatura, da altitude e da humidade ambiente, havendo um mínimo estipulado de 1 ml por cada caloria que se ingere (três litros por dia, sendo 1,5 litros bebidos e a restante incorporada nos alimentos). O ideal é que o desportista não chegue a sentir sede. Para tal, há que ir bebendo pequenas quantidades antes, durante e depois do esforço desportivo.

O leite de vaca tem sido, recentemente, visto como uma “bebida desportiva”, uma vez que há estudos que sugerem que o leite magro é tão ou mais eficaz na recuperação do exercício do que as bebidas desportivas que se comercializam, quer em treinos de endurance, quer em treinos de força.

No ambiente desportivo, a cafeína parece ajudar a reduzir a sensação de fadiga e contribuir para a otimização do rendimento do atleta. Encontra-se nos grãos de café, folhas de chá, chocolate, sementes de cacau, entre outros. Foi retirada, em 2004, da lista de substâncias associadas ao dopping.

Comportamentos e práticas alimentares corretas, no desporto, dispensam o recurso a preparados comerciais questionáveis e aumentam a performance. Não “produzem” o atleta, mas permitem libertar as suas reais capacidades.


Maria Bijóias

Título: Alimentação e desporto de mãos dadas

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 4

809 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 1 )    recentes

  • Luene ZarcoLuene

    01-07-2014 às 14:34:41

    Concordo com você! A alimentação como o desporto caminham lado a lado. Um depende do outro e precisam estar bem alinhadas. Uma alimentação equilibrada, sem exageros e uma caminhada e exercícios físicos tods os dias!

    ¬ Responder

Comentários - Alimentação e desporto de mãos dadas

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios