Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Zeca Afonso – O Trovador da Liberdade

Zeca Afonso – O Trovador da Liberdade

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Biografias
Visitas: 4
Comentários: 2
Zeca Afonso – O Trovador da Liberdade

“A morte saiu à rua num dia assim, Naquele lugar sem nome pra qualquer fim, Uma gota rubra sobre a calçada cai, E um rio de sangue dum peito aberto sai…”

O Homem de Aveiro que cantou Grândola Vila Morena de coração para o coração… e fez história.

José Manuel Cerqueira Afonso dos Santos, nasceu em Aveiro a 2 de agosto de 1929. Conhecido pelo trovador da Liberdade, era conhecido por José Afonso, mas pedia que o tratassem por Zeca e foi assim que foi tratado.

Aos 3 anos foi viver para Angola e o sabor da natureza daquelas terras africanas nunca mais o desacompanharam. Em 1937 visita novamente Aveiro para de seguida partir para Moçambique. Volta a Portugal em 1937 e vive pela primeira vez o sabor amargo de uma ditadura salazarista onde é obrigado a vestir o fardo traje da Mocidade Portuguesa. Tal peso tornara-se demasiado pesado para Zeca Afonso.

Torna-se um cantor notável na Faculdade de Letras de Coimbra quando se dedica ao fado daquela linda cidade. Completa em 1948 o Curso Geral de Línguas.

Casa com uma humilde costureira, mas em segredo por oposição da sua família. Nasce o primeiro filho do casal em 1953 e vive na altura graves dificuldades económicas. Em 1955 começa a dar aulas. Divorcia-se e termina a licenciatura em Ciencias Histórico-Filosoficas. Edita canções de revolta e lança a canção Os Vampiros considerada a primeira letra de contra a repressão do capitalismo e da ditadura.

Segue-se Baladas de Coimbra e com Trova do Vento que Passa de Manuel Alegre torna-se um dos símbolos da resistência antissalazarista. Em 1964 inspira-se numa realidade única e cria a grande “Grândola Vila Morena” sem adivinhar que exatamente 10 anos depois esta viria a fazer uma extraordinária parte da história de Portugal. Entre 1964 e 1967 reside com os filhos e a 2ª mulher em Moçambique onde começa a sua carreira politica.

Regressado a Portugal no decorrer de 67, começa a lecionar em Setúbal, mas é expulso do ensino. Torna-se desde então um resistente para a democracia. Liga-se ao partido Comunista Português, mas mantem-se independente e em 1968 é preso pela Policia Politica (PIDE).

“Cantigas de maio” é editado em 1971 e participa em vários festivais. “Venham mais cinco” é editado em 1973 e cheira a revolução. É nesta data, muito devido às letras das suas canções tão censuradas pela ditadura, preso no Forte de Caxias.

É-lhe dada a oportunidade de voltar a dar aulas após a Revolução dos Cravos em 25 de abril de 1974. Em 76 apoia incondicionalmente Otelo Saraiva de Carvalho na campanha para as presidenciais.

Na madrugada de 23 de fevereiro de 1987 faleceu o trovador da liberdade no hospital de Setúbal vitima de esclerose lateral amiotrófica. Deixa-nos a obra e as palavras. Cantor, escritor, uma verdadeira alma de poesia única.


Carla Horta

Título: Zeca Afonso – O Trovador da Liberdade

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 4

642 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 2 )    recentes

  • SophiaSophia

    24-04-2014 às 22:14:48

    Grandes informações a respeito de Zeca Afonso, muito boa abordagem sobre sua vida e seu profissionalismo.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSofia Nunes

    11-09-2012 às 13:56:36

    Descobri José Afonso há pouco tempo, já com vinte anos. E foi na altura certa. Foi o espírito dos tempos que se fazem sentir que me empurrou para as suas palavras, para «Maio Maduro Maio», para «Os Vampiros» e para tantas outras canções que, mais ou menos subtilmente, nos alertam para o não cumprimento dos ideais que nasceram com a revolução de Abril. Faz falta ouvir José Afonso, faz falta o acordar dos jovens!

    ¬ Responder

Comentários - Zeca Afonso – O Trovador da Liberdade

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Contador de moedas

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Material Escritório
Contador de moedas\"Rua
O mundo dos negócios exige um grande dispêndio de energia e muitas horas de trabalho. No entanto hoje já é possível fazer recurso da alta tecnologia para poupar tempo e dinheiro. O recurso às funções do computador para o comércio facilita e atrai muitos clientes para empresas e comerciantes. No que diz respeito a contas é possível fazer uma contagem rápida e eficaz do dinheiro, sem passar horas a contar e com o risco de engano. É por isso que cada vez mais pessoas ligadas a negócios e serviços optam por adquirir um contador de moedas. Deste modo sabem que poupam tempo e não falham na sua contagem.

Dos inúmeros equipamentos que a alta tecnologia põe ao dispor, este é sem dúvida um equipamento que beneficia em muito o trabalho de muita gente. Por ser pequeno é muito cómodo e exige pouco espaço, ou melhor pode ser colocado em qualquer lugar.

Torna-se evidente que as novas tecnologias vieram para simplificar a vida e trazem muitas vantagens, rentabilizam e poupam tempo. No caso do contador de moedas, sem enganos, falhas e complicações. É o ideal para ter num escritório de uma empresa, em escolas, cafés, pastelarias, salões de jogos, bancos, cinema, serviços financeiros e de tesouraria e outros ligados a serviços públicos e privados.

Em resumo, se está ligado a qualquer trabalho de comércio ou serviços pode poupar muto tempo e problemas apenas colocando um equipamento destes no seu espaço de trabalho. As suas vantagens são inúmeras, em especial: permite realizar uma contagem rápida das moedas dividindo-as e fazendo a sua soma, conta o total das moedas, o valor total em cada tipo de moedas e a quantidade de todas as moedas.

Contem e separa no mínimo duzentas e vinte moedas por minuto, sem erro, conta e separa tudo no mesmo equipamento, permite alimentar o aparelho com quantidades entre as trezentas e quinhentas moedas de cada vez e continuar a adicionar mais moedas enquanto está a contar. Além disso o aparelho pode ser programado para separar um número de moedas predeterminado.

O seu design é bastante inovador e resistente. Os materiais de elevada qualidade, de fácil ligação e paragem automática.

Possui uma elevada funcionalidade, baixo consumo (70W), pouco peso, aproximadamente quatro kg, velocidade ultra rápida, pequena dimensão e estão todos certificados pela EU. Deste modo também possuem garantia, são fáceis de usar e de arrumar.

As suas funções práticas permitem que o contador de moedas possa estar em qualquer lugar.

Pesquisar mais textos:

Teresa Maria Batista Gil

Título:Contador de moedas

Autor:Teresa Maria Gil(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios