Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Uma pequena introdução sobre Ana Bolena

Uma pequena introdução sobre Ana Bolena

Categoria: Biografias
Visitas: 2
Comentários: 3
Uma pequena introdução sobre Ana Bolena

Ana Bolena foi a filha de Sir Tomás Bolena, Conde de Wiltshire e de Isabel Howard, herdeira do Duque de Norfolk. Tomás Bolena era um mestre em línguas respeitado e um dos conselheiros prediletos do rei Henrique VII, tendo sido mandado em muitas missões pelo mundo a fora. É muito complicado falar a data de aniversário de Ana, pois não é encontrado em livros paroquiais e os dados atuais são contraditórios.

Acreditam que tenha nascido entre 1500 e 1508. Um historiador siciliano, alegou que em 1600 ela teria nascido em 1499, mas William Roper, herdeiro de Thomas More disse que Ana nasceu em 1513. Também não está certo quando seus dois irmãos vieram ao mundo, mas tudo indica que sua irmã, Maria Bolena, era mais primeira filha do casal Tomás e Isabel.

Os filhos de Maria afirmaram que sua mãe era irmã mais velha. Seu irmão Jorge nasceu em 1503. Quando pequena, era chamada Anne de Nany por familiares.

Ana foi alfabetizada na Holanda, no reino de Margarida, Arquiduquesa da Áustria. Por volta de 1515, foi para a corte francesa onde virou uma das damas de cia da rainha Cláudia de Valois (mulher de Francisco I), onde conheceu e adquiriu o idioma francês e se encantou com a cultura e educação desse país. Esta época se revelaria muito importante na formação do seu ego.

Em fevereiro de 1523, Ana voltou à Inglaterra por pedido do seu pai e entrou como dama de Catarina de Aragão, a esposa do rei Henrique VIII , Maria Bolena, era no momento a amante "legítima". Neste período, Ana teve uma relação com Henry Percy, o herdeiro do Conde de Northumberland, e os dois ficaram noivos em segredo. O casamento foi negado pelo pai de Percy por motivos incoerentes e Ana foi distanciada do reino.Em maio de 1523, estava de volta e no próximo ano, substituiu Maria como amante do rei.

A princípio, Ana o encantou, encorajou todos os avanços de Henrique VIII, mas não gostava de ser a amante, queria ser rainha da Inglaterra. O fato de Maria ter tido com o Rei um casal de filhos o encorajou a vontade de se casar de novo para ter filho legítimo, já que rainha oficial não parecia ser capaz de ter um filho homem para a casa de Tudor.


Gabriela Torres

Título: Uma pequena introdução sobre Ana Bolena

Autor: Gabriela Torres (todos os textos)

Visitas: 2

631 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 3 )    recentes

  • SophiaSophia

    24-04-2014 às 21:42:06

    Ana Boleraa tinha muita ousadia nos seus comportamentos, apesar de toda a pressão social em que se encontrava. Muito interessante ler a sua história de vida.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSofia Nunes

    11-09-2012 às 13:47:05

    Ana Bolena... Uma das minhas personagens históricas favoritas e a mais perseverante entre as seis mulheres de Henrique VIII. Nuna época em que o estatuto da mulher estava directamente ligado ao nascimento e ao casamento, sendo que o primeiro condicionava o segundo, Ana Bolena escalou o seu caminho para o topo fazendo uso da sua inteligência e do seu charme. No final, foi a sua ambição que a matou, tanto como a loucura de Henrique.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDaniela Vicente

    09-09-2012 às 19:23:18

    Ana Bolena é uma personagem que me interessa bastante estudar. é intrigante e motivador. Por quem foi impulsionada a juntar-se a Henrique VIII quando este já tinha filhos da sua irmã Maria? Porquê o rei escolheu casar com Ana, se poderia ter optado por Maria, com quem já tinha filhos e podia tentar legitimá-los? Muitas perguntas me sobressaltam. Sem reposta, claro. Gostei do seu texto, embora breve, tal como mencionou no título.

    ¬ Responder

Comentários - Uma pequena introdução sobre Ana Bolena

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios