Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Henry Dunat e a Cruz Vermelha

Henry Dunat e a Cruz Vermelha

Categoria: Biografias
Henry Dunat e a Cruz Vermelha

As origens da Cruz Vermelha remontam à Batalha de Solferino, em 1859. Esta batalha realizou-se no norte de Itália, perto de uma cidade denominada Solferino, entre a Áustria e a França. Desta batalha resultaram cerca de 40 mil vítimas mortais e outros milhares de feridos. Henry Dunant, com o objectivo de ajudar os feridos, reuniu o maior número de mulheres e camponeses para colaborar. O exército francês saiu vitorioso desta batalha.
Após o confronto, muitos dias sangrentos se seguiram. Eram múltiplas as tentativas para salvar o maior número de soldados. Henry Dunant pensou que isto nunca mais poderia voltar acontecer.

Mais tarde, Dunant regressa à Suíça e conta o que viu.

Jean Henry Dunant foi o idealista da Cruz Vermelha. Ele e mais quatro amigos assumiram a responsabilidade de criar uma comissão que ajudasse os doentes e os feridos.

Passado algum tempo, Dunant e os seus amigos pediram a vários países para enviar os seus representantes a Genebra e dizem-lhes: "Criámos um regulamento relativo aos tratamentos a dar aos doentes e aos feridos. Se os senhores aprovarem estas leis, escrevam o vosso nome no fim da folha. Terão assim assinado as Convenções de Genebra". Todos os países devem obedecer as estas leis.

Assim, Henry Dunant e os seus amigos criaram uma comissão designada Comité Internacional da Cruz Vermelha.

Os objectivos da Cruz Vermelha são sete: Humanidade, Imparcialidade, Independência, Naturalidade, Voluntariado, Unidade e Universalismo.

Sendo uma organização humanitária, tem como fundamento básico a defesa e o respeito pelo ser humano. É imparcial, pois não distingue raças, credos ou ideologias. Toda a sua intervenção não é determinada por juízos de valor ou pré noções. É independente porque aplica autonomamente orientações independentes de acordo com as Sociedades Nacionais em causa. É neutral devido a ser uma organização internacional, e desta forma, amplamente abrangente, é neutra em toda a sua intervenção, não tomando posicionamentos que possam prejudicar a organização. Voluntariado é o pilar fundamental da organização e encontra-se na base de todo o Movimento. O sexto objectivo é a Unidade devido a esta ser a única em cada território nacional, de forma a existir uniformidade na sua intervenção. Universal pois trata-se de uma organização mundialmente reconhecida.


Daniela Vicente

Título: Henry Dunat e a Cruz Vermelha

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 0

601 

Comentários - Henry Dunat e a Cruz Vermelha

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Como fazer disfarces de Carnaval

Ler próximo texto...

Tema: Vestuário
Como fazer disfarces de Carnaval\"Rua
O ano começa e depressa chega uma data muito ansiada principalmente pelos mais jovens: o desejado Carnaval!

Esta é uma data que os pequenos adoram e deliram com as fantasias. O problema maior é a despesa que os disfarces representam e no ano seguinte já não usarão o mesmo disfarce ou, no caso dos mais pequenos, já não lhes serve.
O melhor nesta data é mesmo reciclar e aprender a fazer disfarces caseiros utilizando truques mais económicos e materiais reciclados para preparar as fantasias dos pequenitos!

Uma sugestão para os meninos é o traje de pirata que pode facilmente ser criado a partir de peças que tenha em casa. Procure uma camisa de tamanho grande e, de preferência, de cor branca com folhos. Se não tiver uma camisa com estas características facilmente encontrará um modelo destes no guarda-vestidos de alguma familiar, talvez da avó.

Precisará de um colete preto. Na falta do colete pode utilizar um casaco preto que esteja curto, rasgue as mangas pelas costuras dos ombros. As calças devem ser velhas e pretas para poderem ser cortadas na zona das pernas para envelhecer a peça. Coloque um lenço preto ou vermelho na cabeça do menino e, de seguida, com um elástico preto e um pouco de velcro tape um dos olhos.

Para as meninas não faltam ideias originais para fazer disfarces bonitos e especiais para este dia. Uma ideia original é a fantasia de Flinstone. É muito fácil e prática de fazer e fica um disfarce muito bonito. Comece por arranjar um pedaço de tecido branco. Coloque o tecido em volta do corpo como uma toalha de banho e depois amarre num dos braços fazendo uma alça. Depois corte as pontas em ziguezague mantendo um lado mais comprido que o outro. Amarre o cabelo da menina todo no cimo da cabeça, como se estivesse a fazer um rabo-de-cavalo mas alteie-o mais. Com o auxílio de um pente frise o cabelo, pegando nas pontas e passando o pente em sentido contrário até que fique todo despenteado. Numa loja de disfarces compre um osso de plástico e prenda na fita da criança.

Pegue nos materiais, puxe pela imaginação e ponha mãos ao trabalho!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Como fazer disfarces de Carnaval

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    09-06-2014 às 04:01:21

    Não em carnaval, mas em bailes de fantasia, sempre usei o TNT. Eles são ótimos para trabalhar o corte, para costurar e deixa bem bonito!
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios