Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Egas Moniz

Egas Moniz

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Biografias
Egas Moniz

António caetano de Abreu Freire Egaz Moniz nasceu na Beira Litoral a 29 de novembro de 1874, filho de uma família da nobreza. O seu nome, Egas Moniz, foi ideia do seu padrinho, pois a família descendia de Egas Moniz, um criado muito querido de D. Afonso Henriques. Aos cinco anos foi para casa do seu padrinho Caetano de Pina Resende Abreu Sá Freire, que era abade, para ser educado. A sua infância foi à moda antiga, com austeridade e rigor. Com os problemas económicos da família, o seu pai e o seu irmão foram obrigados a emigrar para Moçambique, onde faleceram sem conseguirem salvar a família. Fez a primária na Escola do Padre José Ramos e o liceu no Colégio de S. Fiel. Com 17 anos, entrou para a Universidade de Coimbra, para tirar o curso de Medicina. Acaba o curso aos 25 anos, a 31 de julho de 1899, com uma média de 16 valores. No ano seguinte fez provas para ser Doutor, aprovado com 17 valores. Em 1911 foi transferido para a Universidade de Lisboa e tornou-se catedrático de Neurologia. Abordou temas como a tabes juvenil, síndromo bulbar, abcessos cerebrais, síndromo talâmico, entre outros. Sabe-se que era um excelente orador muito apreciado pelos seus alunos.

A 28 de janeiro de 1908 participou na revolta para tirar o “ditador” João Franco do governo. Aderiu ao Republicanismo, e pertenceu à primeira Assembleia Constituinte e à primeira Câmara de Deputados. Em 1916 foi preso e um ano depois fundou o Partido Centrista, que teve pouca duração. Entrou no governo de Sidónio Pais como ministro dos Negócios Estrangeiros.

Com 74 anos escreveu uma obra que ficou para a História: Confidências de um investigador científico, com 622 páginas, com relatos de pesquisas e resultados. Egas Moniz teve um papel importante para ver as artérias do cérebro.

Em 1949 recebeu o Prémio Nobel. Um ano depois, foi fundado o Hospital Júlio de Matos, onde estava o Centro de Estudos de Egas Moniz. Mais tarde, em 1957, o Centro de Estudos foi para o Hospital Santa Maria.

Egas Moniz pereceu em Lisboa a 13 de dezembro de 1955.


Daniela Vicente

Título: Egas Moniz

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 0

612 

Comentários - Egas Moniz

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Informática
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?\"Rua
Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Bom, Não é de hoje que tecnologia vem surpreendendo a todos nós com grandes revoluções e os custos que diminuem cada vez mais.
Hoje em dia é comum ver crianças com smarthphones com tecnologia que a 10 anos atrás nem o celular mais moderno e caro do mercado tinha.
Com isso surgiram sugiram vários profetas da tecnologia e visionários, tentando prever qual será o próximo passo.

E os filmes retratam bem esse tema e usam essa formula que atrai a curiosidade das pessoas.
Exemplos:

Minority report - A nova lei de 2002 (Imagem)

Transcendence de 2014

Em Transcendence um tema mais conspiratório, onde um ser humano transcende a uma consciência artificial e assim se torna imortal e com infinita capacidade de aprendizagem.
Vale a pena ver tanto um quanto o outro filme. Algumas tecnologias de Minority Report, como utilizar computadores com as mãos (caso do kinect do Xbox 360 e One) e carros dirigidos automaticamente, já parecem bem mais próximo do que as tecnologias vistas em Transcendence, pois o foco principal do mesmo ainda é um tema que a humanidade engatinha, que é o cérebro humano, a máquina mais complexa conhecida até o momento.

Eu particularmente, acredito que em alguns anos teremos realmente, carros pilotados automaticamente, devido ao investimento de gigantes como o Google e o Baidu nessa tecnologia.

Também acho que o inicio da colonização de Marte, vai trazer grandes conquistas para humanidade, porém grandes desafios, desafios esses que vão nos obrigar a evoluir rapidamente nossa tecnologia e nossa forma de encarar a exploração espacial, não como um gasto, mas sim como um investimento necessário a toda humanidade e a perpetuação da sua existência.

A única salvação verdadeira para humanidade e para o planeta terra, é que seja possível o ser humano habitar outros planetas, seja localizando planetas parecidos com a terra ou mudando planetas sem condições para a vida em planetas habitáveis e isso só será possível com gente morando nesses planetas, como será o caso do Marte. O ser humano com a sua engenhosidade, aprendeu a mudar o ambiente a sua volta e assim deixou de ser nômade e da mesma forma teremos que aprender a mudar os mundos, sistemas, galáxias e o universo a nossa volta.

Espero que tenham gostado do meu primeiro texto.
Obrigado à todos!
Até a Próxima!


Pesquisar mais textos:

Érico da Silva Kaercher

Título:Futuro da Tecnologia, Qual o Limite?

Autor:Érico da Kaercher(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios