Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > D. Dinis, o Lavrador

D. Dinis, o Lavrador

Categoria: Biografias
Visitas: 4
D. Dinis, o Lavrador

D. Dinis nasceu em Lisboa ou Santarém, a 9 de Outubro de 1261, filho de D. Afonso III, o Bolonhês (1248-1279), e de D. Beatriz de Castela, e foi o sexto rei de Portugal da primeira dinastia, afonsina. Cognominado o Lavrador. Com a morte de D. Afonso III a 16 de Fevereiro de 1279, subiu ao trono português. Casou com D. Isabel de Aragão, a Rainha Santa, filha de D. Pedro III, o Grande, e de D. Constança, a 26 de Junho de 1282, em Trancoso. Deste casamente teve D. Constança, a 3 de Janeiro de 1290, e D. Afonso, futuro D. Afonso IV, a 8 de Fevereiro de 1291. Teve mais filhos fora do casamento: D. Pedro, 3º Conde de Barcelos, filho de D. Grácia Anes, D. Afonso Sanches, filho de D. Aldonça Rodrigues da Telha, D. João Afonso, filho de D. Maria Pires, D. Fernando Sanches, D. Maria Afonso I, filha de D. Marinha Gomes, e D. Maria Afonso II.

A 12 de Novembro de 1297, foi celebrado o Tratado de Alcanizes entre D. Fernando IV, rei de Leão e Castela, e D. Dinis, rei de Portugal, em Alcanizes. Neste tratado ficaram delimitadas decididamente as fronteiras entre os dois reinos.

No campo da cultura, para além de ter sido um fantástico poeta trovador (cantigas de amigo), criou a primeira Universidade em Portugal, na cidade de Lisboa, em 1290, designada Estudos Gerais. Em 1308, transferiu a a Universidade para Coimbra. Foi também no seu reinado que o papel começou a substituir o pergaminho.

Três anos antes de falecer, D. Dinis começou a dar sinais de cansaço. A guerra civil com o filho D. Afonso, entre 1319 3 1324, foi muito desgastante para o monarca. Antes de falecer em Santarém, a 7 de Janeiro de 1325, ainda viu nascer dois dos seus netos, D. Leonor e D. Afonso. Foi sepultado no Mosteiro de São Dinis, em Odivelas.

D. Isabel de Aragão faleceu a 4 de Julho de 1336, em Estremoz. Durante a sua vida esteve sempre muito ligada à caridade. Fundou o Mosteiro de Santa Clara de Coimbra e o Hospital dos Inocentes em Santarém. Foi canonizada em 1625.


Daniela Vicente

Título: D. Dinis, o Lavrador

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 4

657 

Comentários - D. Dinis, o Lavrador

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Contador de moedas

Ler próximo texto...

Tema: Material Escritório
Contador de moedas\"Rua
O mundo dos negócios exige um grande dispêndio de energia e muitas horas de trabalho. No entanto hoje já é possível fazer recurso da alta tecnologia para poupar tempo e dinheiro. O recurso às funções do computador para o comércio facilita e atrai muitos clientes para empresas e comerciantes. No que diz respeito a contas é possível fazer uma contagem rápida e eficaz do dinheiro, sem passar horas a contar e com o risco de engano. É por isso que cada vez mais pessoas ligadas a negócios e serviços optam por adquirir um contador de moedas. Deste modo sabem que poupam tempo e não falham na sua contagem.

Dos inúmeros equipamentos que a alta tecnologia põe ao dispor, este é sem dúvida um equipamento que beneficia em muito o trabalho de muita gente. Por ser pequeno é muito cómodo e exige pouco espaço, ou melhor pode ser colocado em qualquer lugar.

Torna-se evidente que as novas tecnologias vieram para simplificar a vida e trazem muitas vantagens, rentabilizam e poupam tempo. No caso do contador de moedas, sem enganos, falhas e complicações. É o ideal para ter num escritório de uma empresa, em escolas, cafés, pastelarias, salões de jogos, bancos, cinema, serviços financeiros e de tesouraria e outros ligados a serviços públicos e privados.

Em resumo, se está ligado a qualquer trabalho de comércio ou serviços pode poupar muto tempo e problemas apenas colocando um equipamento destes no seu espaço de trabalho. As suas vantagens são inúmeras, em especial: permite realizar uma contagem rápida das moedas dividindo-as e fazendo a sua soma, conta o total das moedas, o valor total em cada tipo de moedas e a quantidade de todas as moedas.

Contem e separa no mínimo duzentas e vinte moedas por minuto, sem erro, conta e separa tudo no mesmo equipamento, permite alimentar o aparelho com quantidades entre as trezentas e quinhentas moedas de cada vez e continuar a adicionar mais moedas enquanto está a contar. Além disso o aparelho pode ser programado para separar um número de moedas predeterminado.

O seu design é bastante inovador e resistente. Os materiais de elevada qualidade, de fácil ligação e paragem automática.

Possui uma elevada funcionalidade, baixo consumo (70W), pouco peso, aproximadamente quatro kg, velocidade ultra rápida, pequena dimensão e estão todos certificados pela EU. Deste modo também possuem garantia, são fáceis de usar e de arrumar.

As suas funções práticas permitem que o contador de moedas possa estar em qualquer lugar.

Pesquisar mais textos:

Teresa Maria Batista Gil

Título:Contador de moedas

Autor:Teresa Maria Gil(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios