Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Biografias > Alberto Sampaio

Alberto Sampaio

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Biografias
Alberto Sampaio

Alberto sampaio nasceu em Guimarães em 1841, mais concretamente na rua dos Mercadores.
Foi batizado, na igreja da Colegiada de Nossa Senhora da oliveira e a sua infância decorreu entre Guimarâes, e Vila Nova de Famalicão, onde o pai era proprietário de uma quinta., chamada quinta de Boamense.

Fez os seus estudos primários no colégio de Landim, juntamente com o seu irmão, José.
Seguidamente, fez os seus estudos na cidade de Braga, tendo depois partido para Coimbra com 17 anos de idade, matriculando-se na Faculdade de Direito.

Foi aí que teve oportunidade de conviver com os intelectuais da Geração de 70, onde foi comtemporâneo de João de Deus, Teófilo Braga, Eça de queirós, Guerra Junqueiro e Antero de quental, com o qual manteve uma fraterna amizade.

Alberto Sampaio tentou a carreira de advocacia, mas não consehuiu adaptar-se. Deste modo regressou para o Minho, e repartiu a sua vida entre Guimarâes e Boamense.

Em Guimarâes, ocupou o lugar de guarda-livros, no banco comercial. Aqui teve oportunidade de conviver com Martins sarmento, a quem o ligavam grandes afinidades culturais e de quem se tornou grande amigo.

Sempre empenhado em promover a indústria vimaranense, foi a alma impulsionadora da exposição industrial de Guimarâes, e o principal autor do seu relatório.

Distingue-se por ser uma pessoa que sempre defendeu os interesses locais da sua terra natal, onde foi muito estimado.

Morreu com a idade de 67 anos, na sua quinta de Boamense, em 1908.

Além de ter desempenhado cargos e feito muito pela sua terra, ainda deixou um bom legado cultural, da história regional.

Na verdade, acabou por se especializar em História, onde aprendeu a globalidade da história nacional.

Aprendeu ainda a história da região nortenha, a economia rural e as atividades costeiras da mesma região.

Nas suas investigações, não descuidou as suas origens remotas, que permaneceram imutáveis, através dos séculos.

Como era um apaixonado pela terra, aprofundou conhecimentos agrícolas, chegando a colaborar com o ministro da agricultura, na elaboração de projetos.

Os estudos e investigações que fazia eram publicados em jornais e revistas da época, destacando-se os "Estudos históricos e Económicos.

Além destas obra, redigiu outras, que foram um marco na História da època em que o viu nascer.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Alberto Sampaio

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

605 

Comentários - Alberto Sampaio

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Fine and Mellow

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Música
Fine and Mellow\"Rua
"O amor é como uma torneira
Que você abre e fecha
Às vezes quando você pensa que ela está aberta, querido
Ela se fechou e se foi"
(Fine and Melow by Billie Holiday)

Ao assistir a Bio de Billie Holiday, ocorreu-me a questão Bluesingers x feminismo, pois quem ouve Blues, especialmente as mais antigas, as damas dos anos 10, 20, 30, 40, 50, há de pensar que eram mulheres submissas ao machismo e maldade de seus homens. Mas, as cantoras de Blues, eram mulheres extremamente independentes; embora cantassem seus problemas, elas não eram submissas a ponto de serem ultrajadas, espancadas... Eram submissas, sim, ao amor, ao bom trato... Essas mulheres, durante muito tempo, tiveram de se virar sozinhas e sempre que era necessário, ficavam sós ou mudavam de parceiros ou assumiam sua bissexualidade ou homossexualidade efetiva. Estas senhoras, muitas trabalharam como prostitutas, eram viciadas em drogas ou viviam boa parte entregues ao álcool, merecem todo nosso respeito. Além de serem precursoras do feminismo, pois romperam barreiras em tempos bem difíceis, amargavam sua solidão motivadas pelo preconceito em relação a cor de sua pele, como aconteceu a Lady Day quê, quando tocava com Artie Shaw, teve que esperar muitas vezes dentro do ônibus, enquanto uma cantora branca cantava os arranjos que haviam sido feitos especialmente para ela, Bilie Holiday. Foram humilhadas, mas, nunca servis; lutaram com garra e competência, eram mulheres de fibra e cheias de muito amor. Ouvir Billie cantar Strange Fruit, uma das primeiras canções de protestos, sem medo, apenas com dor na alma, é demais para quem tem sentimentos. O brilho nos olhos de Billie, fosse quando cantava sobre dor de amor ou sobre dor da dor, é insubstituível. Viva elas, nossas Divas do Blues, viva Billie Holiday, aquela que quando canta parte o coração da gente; linda, magnifica, incomparável, Lady Day.

O amor vai fazer você beber e cair
Vai fazer você ficar a noite toda se repetindo

O amor vai fazer você fazer coisas
Que você sabe que são erradas

Mas, se você me tratar bem, querido
Eu estarei em casa todos os dias

Mas, se você continuar a ser tão mau pra mim, querido
Eu sei que você vai acabar comigo

Pesquisar mais textos:

Sayonara Melo

Título:Fine and Mellow

Autor:Sayonara Melo(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios