Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Perca os quilos indesejados depois da gravidez

Perca os quilos indesejados depois da gravidez

Categoria: Beleza
Perca os quilos indesejados depois da gravidez

No decurso da gravidez, o corpo da mulher sofre uma série de alterações para poder acolher um bebé e passar pela experiência do parto. Após o nascimento, ele vai precisar de tempo para recuperar e voltar a ter as características anteriores. Por outro lado, terá de se adaptar à nova condição de mãe, nomeadamente no que se refere à produção de leite para alimentar o bebé. Assim, durante cerca de quatro a seis semanas, o corpo da recente mãe irá passar por novas transformações. Este período é conhecido como puerpério.

No decorrer do puerpério, verifica-se uma evidente perda de peso corporal. Primeiramente, há a perda do peso do bebé, da placenta, das membranas adjacentes e do líquido amniótico, que em conjunto representam à volta de cinco quilos. Para além disso, ainda se subtraem dois a quatro quilos, em resultado da diminuição do útero e da eliminação progressiva dos líquidos que se foram acumulando na gestação.

Nos meses subsequentes, a mulher deverá fazer uma alimentação cuidada e seguir um plano de exercícios físicos para reduzir harmoniosamente o peso corporal. Não obstante, só ao cabo de seis meses, em média, é que recuperará o peso anterior à gravidez.

Se a recém mamã não amamentar, uma dieta equilibrada não deverá levantar qualquer problema. No entanto, para a mãe que amamenta, não fará muito sentido iniciar um regime de emagrecimento; por um lado, porque ela irá continuar a perder peso naturalmente, e, por outro, porque poderá correr o risco de comprometer a produção e a qualidade do leite, não colmatando as necessidades nutricionais do bebé. Os quilos a mais não estão lá por acaso. Eles representam uma reserva calórica que permite ao organismo produzir leite. Portanto, a mãe deverá esperar pelo fim da amamentação para iniciar uma dieta, o que não invalida alguns cuidados com a alimentação.

Um dos melhores exercícios que as mulheres podem fazer parta recuperar a forma é andar. De preferência, com um carrinho de bebé: queima mais calorias, mesmo a uma velocidade mais reduzida. Remar é o indicado para a parte superior do corpo numa fase pós-parto. Fortalece os rombóides, grande dorsal e a zona posterior dos deltóides, que ajudam a postura e aliviam as dores da zona superior das costas, para além de tonificar os bicípites.

Não há regras gerais relativamente ao tempo a aguardar para começar a fazer exercício. O normal é quinze dias depois de um parto normal e três a quatro semanas em caso de cesariana. A maior parte dos médicos recomenda que se espere seis semanas antes de iniciar um programa de exercício físico “tradicional”.

Os exercícios Kegel e a Ponte são dos mais aconselhados. Neste último, o procedimento é deitar de costas e elevar devagar a coluna vertebral do chão a partir da base (bacia). Realizar este movimento até desencostar totalmente as coxas do chão. Depois, voltar a colocar devagar a bacia no chão. Os braços devem ser mantidos no chão, assim como os pés e não se pode usar os braços para ajudar.



Maria Bijóias

Título: Perca os quilos indesejados depois da gravidez

Autor: Maria Bijóias (todos os textos)

Visitas: 0

648 

Comentários - Perca os quilos indesejados depois da gravidez

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios