Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Estrias – Podemos acabar com elas?

Estrias – Podemos acabar com elas?

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Beleza
Visitas: 2
Comentários: 4
Estrias – Podemos acabar com elas?

As estrias são bastante comuns. Para quem tenha grandes oscilações de peso ou tenha passado por uma gravidez, costuma ter estes pequenos problemas que se manifestam por marcas na pele, como se de rugas vincadas se tratassem.

Pouco estéticas, as estrias podem aparecer na barriga e baixo-ventre (em caso de estrias gravídicas), nos braços, pernas, coxas, nádegas, seios e em muitos outros locais.

Mas o que são as estrias afinal? Na realidade as estrias são bastante fáceis de explicar. Caracterizam-se por um rompimento das fibras elásticas da pele. As fibras rompidas são inundadas por sangue, o que forma uma lesão visível na pele, como se de cicatrizes (dos mais variados tamanhos e quantidades) se tratasse. Estas cicatrizes avermelhadas (por causa do sangue), acabam por ficar esbranquiçadas com o passar do tempo.

Apesar de muitas vezes se associar somente o aparecimento de estrias com as oscilações de peso, a verdade é que os motivos do seu aparecimento podem ser variadíssimos.

A produção de estrogénio do nosso organismo, podem produzir estrias. Em fases da nossa vida como a puberdade, a produção de estrogénio é muito grande torna um maior estiramento da pele. A produção de hormonas pode ser um desastre físico.

A utilização de medicamentos como os corticoides (à base de cortisona), secam a pele em demasia. Medicamentos de provoquem retenção de líquidos tornam a pele menos propensa a elasticidade.

Os casos genéticos estão também já comprovados. Se os seus antepassados já sofriam deste problema, saiba que a parte genética da sua vida, influencia no aparecimento de estrias.

Voltando a falar nas oscilações de peso, saiba que o ganho da massa muscular associada a uma alimentação pobre e desadequada também produzem estrias.

A melhor forma de prevenção (porque prevenir é sempre melhor do que remediar), é a aplicação de cremes hidratantes no corpo. Logo após o banho, um bom creme hidratante pode fazer milagres. Na eventualidade de estar a fazer um tratamento para perder peso ou se está grávida, o conhecido creme gordo nas zonas mais críticas é uma das melhores e mais baratas soluções. O óleo de amêndoas doces na barriguinha, na eventualidade de estar grávida, também é uma boa solução.

Uma alimentação saudável é essencial, mas isto, já sabe que não serve só para as estrias.

As formas de tratamento são muitas, mas a prevenção é sempre o melhor. Tratamentos estáticos, um pouco caros são os resultados mais rápidos apesar de por vezes um pouco dolorosos. Cremes farmacêuticos também atenuam o aspecto, mas lamentavelmente o seu desaparecimento é sempre complicado.


Carla Horta

Título: Estrias – Podemos acabar com elas?

Autor: Carla Horta (todos os textos)

Visitas: 2

802 

Imagem por: Jazz Defo

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoMarta

    24-07-2012 às 10:58:21

    Quando estive gravida tive todos os cuidados. Comia coisas saudáveis e fiz algum exercício próprio para gravidas. Engordei 10kg e mesmo durante todo o tempo de gravides e aplicava cremes duas vezes ao dia. Não sei se será pelo meu tipo de pele ou pelos cuidados que tive, mas nunca tive grandes estrias. Tenho uma ou outra mas que pouco se notam.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoRosário

    24-07-2012 às 10:58:01

    Fiz uma cirurgia há uns anos e devo dizer que o resultado ficou perfeito. Tenho uma barriguinha perfeita, tendo em conta que era obesa. Sofri deste problema durante mais de 10 anos até que decidi perder peso. A cirurgia foi cara, mas quis ter a certeza que ficaria bem feita e que eu não teria qualquer tipo de complicações. A recuperação também foi dolorosa e o repouso foi o mais irritante, pois sou muito ativa e 2 dias de cama foram um verdadeiro inferno.
    De qualquer forma, e com um resultado tão positivo, aconselho a qualquer uma que dentro das suas possibilidades o faça, mas atenção, escolham um médico com boas referencias.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoSandra

    23-07-2012 às 12:48:43

    Também tida imensas estrias por causa de uma gravides com grande peso. Alojaram-se na zona da barriga e apesar de alguns truques, parecia que cada vez estavam mais salientes. Pareciam verdadeiras varizes brancas. Comecei a colocar um creme da farmácia e comecei a notar a diferença passados alguns meses. Foi preciso insistência na aplicação dos cremes e fiz algum exercício físico especialmente localizada na zona dos abdominais e barriga. Melhorou bastante de aspeto, mas nunca mais voltou a ser como era. Acho que só mesmo com cirurgia estética é que ficava como nos tempos em que não era mãe. Acho que como diz a autora, mais vale prevenir – e durante a gravides podia ter tido mais cuidados com o peso.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoAndreia

    23-07-2012 às 12:48:20

    Quando engravidei, pesava 47kg. Tinha 25 anos e durante toda a gravides, comi de tudo sem restrições. As minhas filhas (gémeas) desenvolviam-se sem problemas. Tive todos os cuidados com a minha pele e usei e abusei do creme gordo conforme a indicação de todas as mamãs que conhecia. Escusado será dizer que engordei imenso, mas no final da gravides estava a pesar 78kg. Foram muitos quilos em cima e os meus pé e pernas estavam em tamanho triplicado.
    Quando as minhas filhas nasceram emagreci com facilidade e julgo que tal só se consiga com 25 anos. O pior foram as marcas de estrias na barriga, ancas e no peito. Como conseguir que fiquem pelo menos disfarçadas?

    ¬ Responder

Comentários - Estrias – Podemos acabar com elas?

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Dicas para decorar salas pequenas.

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Decoração
Dicas para decorar salas pequenas.\"Rua
A realidade das grandes cidades é que a maioria das pessoas mora em espaços pequenos. É fato também que todos desejam ter um ambiente acolhedor e aconchegante para receber amigos. Em contrapartida, na medida em que os espaços encolhem, a quantidade de aparelhos eletrônicos que utilizamos aumenta cada vez mais. Há ainda quem use a sala como home-office.

Nesta busca de inspiração para organizar e incrementar sua sala, encontramos uma série de sites especializados e blogs com muitas, muitas ideias. O conceito de D.I.Y. (do it yourself) que significa "faça você mesmo” nunca esteve tão na moda. É uma alternativa para reduzir gastos com mão de obra e nada melhor do que criar um espaço com um toque todo seu. Inspirações e ideias não faltam. Hoje, de certa forma todos nos sentimos meio decoradores.

Mas planejar a decoração de uma sala pequena exige alguns cuidados para que o ambiente não fique entulhado de móveis, disfuncional ou até mesmo desagradável.

Confira algumas dicas para decorar sua sala com estilo e valorizando seu espaço:
Os espelhos, além da autocontemplação, causam efeitos interessantes. Aplicados, por exemplo, em uma parede inteira pode duplicar a amplitude do ambiente. Pode ser usado também em móveis, tetos, em diversos formatos e valorizar a luminosidade da decoração.

As cores tem poder de causar sensações. Em ambientes com pouco espaço, elas podem colaborar para que a sensação de amplitude possa tanto aumentar quanto diminuir. Para pintar as paredes de sua sala aposte em cores claras. O teto com uma cor mais clara que a das paredes, por exemplo, pode simular uma elevação do teto, já em uma cor mais escura, promoverá uma sensação de rebaixamento do teto.

A escolha e posição dos móveis são um aspecto muito importante. Opte por poucos móveis, nunca de tamanhos exagerados e posicione-os de forma que valorize o espaço. Móveis que misturam poucos materiais, baixos e com linhas retas proporcionam leveza ao ambiente.

Uma solução muito interessante para espaços pequenos é a utilização de prateleiras. Caixas para produtos horto frutícolas reformadas podem se tornar lindas prateleiras. Mas cuidado com a profundidade, para não atrapalhar na disposição de outros móveis e objetos.

Móveis multifuncionais ou móveis inteligentes são excelentes alternativas para uma sala pequena. Um bom exemplo são pufes, que podem ser usados como mesas de centro ou ficarem alojados debaixo de aparadores e quando recebemos visitas podem se transformar em assentos extras. Mesas dobráveis também são uma ótima opção.

Escolher o mesmo piso ou revestimento pode dar a impressão de área maior, de continuidade. Mudanças drásticas de um ambiente para outro pode causar a sensação de divisão e consequentemente fazer parecer menor.

Algumas outras dicas: um sofá retrátil ou reclinável garante muito mais conforto e ocupa o espaço de um sofá simples. Suporte ou painéis móveis para TV possibilitam que ela seja movida na direção desejável. Caso o ambiente tenha escadas, escolher um modelo de escadas vazadas evita divisões e pode se tornar uma peça de destaque na sala. E para as cortinas, escolha tecidos leves, lisas e sem estampas.

De qualquer forma, ouse, não tenha medo de arriscar, crie, não copie, só assim será seu!

Luciana Santos.

Outros textos do autor:
Dicas para decorar salas pequenas.

Pesquisar mais textos:

Luciana Maria dos Santos

Título:Dicas para decorar salas pequenas.

Autor:Luciana Maria Santos(todos os textos)

Imagem por: Jazz Defo

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Carlos Rubens Neto 16-06-2016 às 16:20:24

    Excelente matéria! Parabéns Luciana ;)

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios