Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Beleza > Conheça os tipos e benefícios da chapinha para os cabelos

Conheça os tipos e benefícios da chapinha para os cabelos

Categoria: Beleza
Visitas: 14
Conheça os tipos e benefícios da chapinha para os cabelos

Atualmente, existem vários tipos diferentes de chapinhas disponíveis no mercado, e cada uma delas possui uma função especifica, além de alisar os fios. Elas são feitas com revestimentos diferentes para garantir um ótimo alisamento e dar um efeito natural no cabelo, sem prejudicá-los. Pensando nisso, se você ainda tem dúvidas para escolher a chapinha ideal para o seu cabelo, conheça os tipos e qual a função de cada uma.

Chapinha de cerâmica – Ela libera raios infravermelhos quando é aquecida. Esses raios penetram nos fios, evitando o ressecamento e outros danos. Essa chapinha fica com a temperatura estável, o que garante um alisamento mais uniforme. Além disso, a chapinha de cerâmica não necessita ser passada várias vezes no cabelo para que ele fique com o efeito liso e não agride os fios.

Chapinha com íons – Sua função é quebrar as moléculas de água em pequenas partículas, o que ajuda a penetrá-las nas cutículas abertas dos fios. Assim, o cabelo mantem a hidratação natural, ativando e neutralizando a sua eletricidade de dentro para fora. Devido a isso, a chapinha com íons deixa o cabelo mais sedoso, brilhante e evita o efeito arrepiado.

Chapinha com infravermelho – Ela tem o poder de emitir ondas infravermelhas que penetram na fibra capilar. Desta forma, ela consegue fechar as cutículas dos fios com mais eficácia. Além disso, esse processo faz com que as moléculas de água de movimentem, o que ajuda na desintoxicação dos fios. Portanto, o infravermelho deixa o cabelo macio, bonito, sedoso e com um ótimo acabamento liso, o que a torna ótima para ser usada por pessoas que fizeram tratamentos químicos ou possuem um cabelo mais sensível.

Chapinha de turmalina – A turmalina é um mineral que, quando empregado no revestimento de chapinhas, tem o poder de selar as cutículas, garantindo um ótimo efeito liso, com brilho e sem frizz. Esse processo é possível, pois os íons negativos são potencializados, e quando entram em contato com as cargas positivas dos fios, ajuda a neutralizar a eletricidade.

A chapinha de turmalina deixa o cabelo mais protegido, pois ela evita o contato direto dos fios com o alumínio do aparelho. E, essa prancha pode ser usada, principalmente, por quem tem cabelos muito ressecados ou que tenha feito algum procedimento químico nos fios.

Chapinha com nanotecnologia de titânio – Este tipo de chapinha oferece mais eficiência, pois o elemento titânio é um excelente condutor de calor. Além disso, ele deixa a temperatura da chapinha estável, o que garante mais proteção aos fios. Além disso, a chapinha com nanotecnologia de titânio também diminui a ação de radicais livres, fungos e bactérias, deixando os fios limpos e protegidos.


Rua Direita

Título: Conheça os tipos e benefícios da chapinha para os cabelos

Autor: Rua Direita (todos os textos)

Visitas: 14

788 

Comentários - Conheça os tipos e benefícios da chapinha para os cabelos

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Pulp Fiction: 20 anos depois

Ler próximo texto...

Tema: Arte
Pulp Fiction: 20 anos depois\"Rua
Faz hoje 20 anos que estreou um dos mais importantes ícones cinematográficos americanos.

Pulp Fiction é um marco do cinema, que atirou para a ribalta Quentin Tarantino e as suas ideias controversas (ainda poucos tinham visto o brilhante “Cães Danados”).

Repleto de referências ao cinema dos anos 70 e com uma escolha de casting excepcional, Pulp Fiction conquistou o público com um discurso incisivo (os monólogos bíblicos de Samuel L. Jackson são um exemplo disso), uma violência propositadamente mordaz e uma não linearidade na sucessão dos acontecimentos, tudo isto, associado a um ritmo alucinante.

As três narrativas principais entrelaçadas de dois assassinos, um pugilista e um casal, valeram-lhe a nomeação para sete Óscares da Academia, acabando por vencer na categoria de Melhor Argumento Original, ganhando também o Globo de Ouro para Melhor Argumento e a Palma D'Ouro do Festival de Cannes para Melhor Filme.

O elenco era composto por nomes como John Travolta, Samuel L. Jackson, Bruce Willis, Uma Thurman e (porque há um português em cada canto do mundo) Maria de Medeiros.

Para muitos a sua banda sonora continua a constar na lista das melhores de sempre, e na memória cinéfila, ficam eternamente, os passos de dança de Uma Thurman e Travolta.

As personagens pareciam ser feitas à medida de cada actor.
Para John Travolta, até então conhecido pelos musicais “Grease” e “Febre de Sábado à Noite”, dar vida a Vincent Vega foi como um renascer na sua carreira.

Uma Thurman começou por recusar o papel de Mia Wallace, mas Tarantino soube ser persuasivo e leu-lhe o guião ao telefone até ela o aceitar.

Começava ali uma parceria profissional (como é habitual de Tarantino) que voltaria ao topo do sucesso com “Kill Bill”, quase 10 anos depois.

Com um humor negro afiadíssimo, Tarantino provou em 1994 que veio para revolucionar o cinema independente americano e nasceu aí uma inspirada carreira de sucesso, que ainda hoje é politicamente incorrecta, contradizendo-se da restante indústria.

Pulp Fiction é uma obra genial. Uma obra crua e simultaneamente refrescante, que sobreviveu ao tempo e se tornou um clássico.
Pulp Fiction foi uma lição de cinema!

Curiosidade Cinéfila:
pulp fiction ou revista pulp são nomes dados a revistas feitas com papel de baixa qualidade a partir do início de 1900. Essas revistas geralmente eram dedicadas às histórias de fantasia e ficção científica e o termo “pulp fiction” foi usado para descrever histórias de qualidade menor ou absurdas.

Pesquisar mais textos:

Carla Correia

Título:Pulp Fiction: 20 anos depois

Autor:Carla Correia(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios