Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Arte > Os deuses egípcios e os escribas, uma classe social próspera!

Os deuses egípcios e os escribas, uma classe social próspera!

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Arte
Os deuses egípcios e os escribas, uma classe social próspera!

Os egípcios acreditavam que tudo no Universo pertencia aos deuses, uma fonte de prosperidade ou de miséria. Muitos deles apresentavam forma humana, outros possuíam corpo humano e cabeça de animal. Estamos perante o Zoomorfismo. Adoravam-se as qualidades demonstradas e personificadas nos animais, em vez dos próprios animais. A distinção das divindades também pode ser feita através dos diferentes penteados, toucados ou coroas. As divindades eram representadas com vários cetros: nekhakha, hekat, uas, ankh e djed.

Osíris era o deus da vegetação, da morte e da ressurreição. Marido de Ísis e pai de Hórus. Era ele quem julga os mortos no Julgamento Final. Neit era a deusa guerreira. Min era um deus da fertilidade. Mut era a deusa tebana, esposa de Amon. Bastet, com cabeça de leoa ou gata, era uma deusa guerreira. Set, deus com cabeça de animal, era o deus da desordem. Tot, com cabeça de íbis, era o deus da escrita.

Os escribas eram uma classe social muito importante no Egito. Apenas eles tinham possibilidade de fazer carreira no serviço público. A escrita era uma profissão especializada.

O escriba, enquanto trabalhava, sentava-se de pernas cruzadas e num rolo de papiro desenhava ou pintava o que lhe era pedido. Usava normalmente pigmento vermelho ou preto. Escrevia da direita para a esquerda. Constituíam uma elite, pois a maior parte da população não sabe ler.

As crianças que estudavam para serem escribas começavam a fazê-lo com 4 ou 5 anos. Deviam saber ler, escrever, desenhar, pintar, dominar o idioma, a literatura e a história do seu país. Deviam ainda ter conhecimento de matemática, astronomia, contabilidade e mecânica.
Existiam duas formas de escrita: a demótica, a escrita mais simples, para registar assuntos do dia a dia, e a hieroglífica, a escrita mais complexa, formada por desenhos e símbolos
Durante o Império Antigo muitos escribas pertenciam à família rela. A partir do Império Médio esta profissão ficou ao alcance de qualquer pessoa. Era uma profissão muito desejada, mas nem todos alcançavam os cargos mais importantes. Contudo, mesmo esses ficavam com cargos administrativos de relevo.

É através dos seus registos que conhecemos também muitos aspectos administrativos, políticos, económicos, sociais e culturais da antiga civilização egípcia.


Daniela Vicente

Título: Os deuses egípcios e os escribas, uma classe social próspera!

Autor: Daniela Vicente (todos os textos)

Visitas: 0

671 

Comentários - Os deuses egípcios e os escribas, uma classe social próspera!

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios