Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Queima do Alho: alimento do corpo e da alma do peão de boiadeiro

Queima do Alho: alimento do corpo e da alma do peão de boiadeiro

Categoria: Alimentação
Visitas: 18
Queima do Alho: alimento do corpo e da alma do peão de boiadeiro

Defensoras das antigas tradições da cultura boiadeira, as comitivas de Queima do Alho trabalham pela preservação e difusão da culinária do peão de boiadeiro. Constituídas em sua maioria por grupos de amigos que se unem num esforço coletivo em defesa de nossa cultura, elas estão cada vez mais presentes no cenário cultural caipira.
A Queima do Alho representa a culinária tradicional dos antigos peões de boiadeiros e vem conquistando espaços cada vez mais relevantes na cultural caipira com seu mais famoso e tradicional concurso sendo realizado na Festa do Peão de Barretos onde a tradição é mantida desde a década de 1950.
A comida é preparada em fogões rústicos conhecidos como trempes e seu cardápio é constituído por quatro pratos básicos: arroz carreteiro, feijão gordo, paçoca de carne e churrasco na chapa. Na apresentação de uma típica comitiva de Queima do Alho o sabor e a cultura se juntam para nos arremessar ao um passado que vive dentro da gente mesmo que não saibamos reconhecê-lo.

RECEITA para 10 pessoas:

Arroz Carreteiro

Ingredientes:
1 kg de carne-seca
1 kg de arroz
(cebola, alho, pimenta e sal a gosto)

Preparo: Durante o cozimento da carne, a água deve ser trocada duas vezes. Depois de cozida deve ser picada com uma faca até ficar parecida com carne moída (não se deve moer na máquina). Em seguida, a carne deve ser colocada numa panela grossa com banha quente e temperada com cebola, pimenta, alho picado batido e sal. Depois de tostá-la um pouco, adicione o arroz escorrido e bem lavado e refogue por algum tempo mexendo e adicionando água aos poucos durante o cozimento.

Feijão Gordo

Ingredientes:
1 kg de feijão
100 g de toucinho defumado (bacon)
250 g de linguiça de porco
250 g de torresmo de panceta,
150 g de carne seca frita (pedaços)
200 g de farinha de mandioca
(cebola, alho, pimenta, cheiro verde e sal a gosto)

Preparo: Coloque água para ferver com o feijão. Noutra panela frite um pouco de torresmo na banha. Enquanto o feijão é cozido, adicione os outros ingredientes: panceta de porco, toucinho, torresmo frito, linguiça de porco (cozida e cortada em rodelas finas), bacon, pedaços de gordura, carne seca. Para refogar, frite alho picado em banha com um pouco de pimenta do reino.

Paçoca de Carne

Ingredientes:
1kg charque picadinho (batido com faca)
½ kg de farinha de mandioca
½ kg de farinha de milho.

Preparo: coloque na panela o óleo quente, já com todo o tempero (principalmente alho picado), adicione a carne e deixe refogar por uns cinco minutos. Depois coloque a carne dentro de um pilão de madeira juntamente com a farinha de mandioca e a de milho e soque até ficar fofinha.

Carne de churrasco

Ingredientes:
3 kg de carne, água e sal.

Preparo: Fatie a carne em pedaços grossos e banhe em água com sal com um pouco de alho amassado. Deixe a carne no sereno durante a noite e no dia seguinte asse em chapa de folhão.

Queima do Alho: alimento do corpo e da alma do peão de boiadeiro


Luiz Mozzambani Neto

Título: Queima do Alho: alimento do corpo e da alma do peão de boiadeiro

Autor: Luiz Mozzambani Neto (todos os textos)

Visitas: 18

196 

Comentários - Queima do Alho: alimento do corpo e da alma do peão de boiadeiro

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Martelos e marrettas

Ler próximo texto...

Tema: Ferramentas
Martelos e marrettas\"Rua
Os martelos e as marretas são, digamos assim, da mesma família. As marretas poderiam apelidar-se de “martelos com cauda”. Elas são bastante mais robustas e mantêm as devidas distâncias: o cabo é maior.

Ambos constituem, na sua génese, amplificadores de força destinados a converter o trabalho mecânico em energia cinética e pressão.

Com origem no latim medieval martellu, o martelo é um instrumento utilizado para “cacetear” objectos, com propósitos vários, pelo que o seu uso perpassa áreas como o Direito, a medicina, a carpintaria, a indústria pesada, a escultura, o desporto, as manifestações culturais, etcétera, variando, naturalmente, de formas, tamanhos e materiais de composição.

A diversidade dos martelos é, realmente, espantosa. O mascoto, por exemplo, é um martelo grande empregue no fabrico de moedas. Com a crise económica que assola o mundo actualmente, já se imaginam os governantes, a par dos banqueiros, de martelo em punho para que não falte nada às populações…

Há também o marrão que, mais do que o “papa-livros” que tira boas notas a tudo, constitui um grande martelo de ferro, adequado para partir pedra. Sempre poupa trabalho à pobre água mole…

O martelo de cozinha serve para amaciar carne. Daquela que se vai preparar, claro está, e não da de quem aparecer no entretanto para nos martelar a paciência…!

Já no âmbito desportivo, o lançamento do martelo representa uma das provas olímpicas, tendo sido recentemente adoptado na modalidade feminina. Imagine-se se, em vez do martelo, se lançasse a marreta… seria, certamente, mesmo sem juiz nem tribunal, a martelada que sentenciaria a sorte, ou melhor, o azar de alguém!

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Martelos e marrettas

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios