Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Plantas que Curam

Plantas que Curam

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Alimentação
Comentários: 4
Plantas que Curam

A fitoterapia conhece nos nossos dias um verdadeiro renascer tanto no domínio das doenças internas como na dermatologia, na cosmética e balneoterapia.

Os seus conhecimentos iniciaram-se no Egipto e foram posteriormente divulgados a todo o mundo devido às virtudes mágicas das plantas, saídas da Mãe-Natureza.
Efectivamente podemos distinguir o seu emprego, em plantas ao "natural" ou seja, sob a forma de pós,chás, infusão ou como aromas no banho.




Para os fisioterapeutas há uma planta indicada para quase todos os problemas. São essencialmente eficazes no tratamento de problemas digestivos, gripe, tosse, cefaleias, diabetes, cancro e problemas dermatológicos.

Recomenda-se preferencialmente as plantas secas, por terem maior concentração das suas propriedades terapêuticas.
Deste modo, para o reumatismo são úteis as ti sanas de menta, urtiga e rosmaninho:

-para distúrbios nervosos- camomila,tília e menta.

-para insónias é recomendável fazer um banho quente antes de dormir, juntando camomila:

-para depressão- banhos de pés com sal, chá de absinto e duche a 30 graus, várias vezes ao dia.

-para diabetes- beber um litro e meio de água por dia, ou chá de urtiga, infusão de folhas de amoreira às refeições:

-para desintoxicar o organismo, fazer massagens com água marinha ou sal, seguidas de duche, beber chá de urtiga, menta e rosmaninho:

-para cancro- óleo vermelho, em especial para o do útero, hemorroidal interno e externo, pau de Arco, erva de S.Roberto, cicuta- suco fresco- muito anti-cancerígeno, feno grego, para dores do cancro, limá ria, urtiga e Calcedónia:

-para perturbações gástricas e intestinais- erva cidreira e hortelã- pimenta:
-para aumento de apetite- agrião:

-para doenças das vias respiratórias, tosse e inflamações- manjerico:

-para problemas de bexiga- salsa e gatunha(sendo indicada também para reumático e problemas urinários:

-para dores de cabeça, estimulante de digestão e secrecção da vesícula- arruda:

-para afeccções da pele, dermatites e eczemas- amor-perfeito bravo:

-para bexiga- ulmária:

para problemas de pele-cavalinha dos campos, em especial para erupções cutâneas e úlceras:

-para diarreia, obstipação, diabetes e aparelho urinário- funcho:

para tosse e expectoração- alteia:

para inflamações- urze:

-para beleza e juventude da pele- agrião, aipo, alface, algas, cenoura, couve, limão, salsa, pepino, tomate e tília.

Normalmente são usadas em chás, podendo ainda ser fervidas como decocação ou na água do banho, consoante o problema.


Teresa Maria Batista Gil

Título: Plantas que Curam

Autor: Teresa Maria Gil (todos os textos)

Visitas: 0

792 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • SophiaSophia

    15-06-2014 às 15:55:46

    A lista das plantas que curam estão ótimas e vai ajudar-me muito. Às vezes, buscamos remédios químicos que nada melhoram nossa saúde e temos a disposição plantas naturais e que realmente curam qualquer enfermidade.
    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoTeresa Maria Batista Gil

    29-07-2012 às 14:40:31

    As plantas são muito virtuosas relativamente aos seus componentes, que além de ricos e vitaminados, tratam muitas doenças.Devem ser fervidas em água quente e bebidas como chás ou infusões.Os chás de camomila, cidreira ou hortelã, são excelentes para ajudar á digestão e acalmar, após um dia de trabalho. No caso de problemas digestivos deve tomar-se três vezes ao dia.Desde sempre que as plantas foram integradas na alimentação, como condimento, complemeto de saladas ou sopas. estas ficam mais saborosas e ricas se forem adicionadas com hortelâ, salsa ou coentros.É admirável que todas as civilizações tenham usado as plantas para fins aimentares e cura de doenças, em virtude das suas propriedades terapêuticas. Apesar dos avanços da quimioterapia, elas continuam a ser utilizadas.Os egípcios usavam muito as plantas, com fins medicinais, especialmente o zimbro, a româ, a semente do linho, o sene, o lírio e o rícino. Reconheciam ainda as propriedades analgésicas da dormideira.As plantas medicinais estão sugeitas a uma lei de recolha, que é exigida em todo o reino vegetal,devendo ser recolhidas, quando devidamente desenvolvidas, a fim de os seus fins medicinais serem aproveitados.É necessário saber reconhecer as plantas, a fim de não colher plantas vizinhas ou nocivas ao organismo. deve colher-se planta por planta, caule por caule e folha por folha, para não danificarem.As folhas, raízes e flores, devem ser colhidos na altura própria, da maturação. E, mais vale um pouco mais cedo do que tarde, para serem mais fáceis de conservar, após a colheita.No que diz respeito aos caules, só devem ser colhidos depois de as flores estarem murchas e começarem a caír. As raízes e cascas devem ser colhidas só no outono.As plantas medicinais empregam-se sob a forma de infusos, xaropes, tinturas, macerados, cozimentos e alcoolaturas. Além disso empregam-se em banhos de imersão parcial ou total. Cada um tem um fim curativo distinto.

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoDiana

    15-05-2012 às 14:35:34

    Muito obrigado pelas dicas, vou tentar exprimentar alguns..

    ¬ Responder
  • M.L.E.- Soluções de ClimatizaçãoJosé

    14-05-2012 às 11:21:50

    Muito obrigado

    ¬ Responder

Comentários - Plantas que Curam

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Literatura
Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal\"Rua
Gertrude Stein foi uma escritora de peças de teatro, de peças de opera, de ficção, de biografia e de poesia, nascida nos Estados Unidos da América, e escreveu a Autobiografia de Alice B. Toklas, vestindo a pele, e ouvindo pela viva voz da sua companheira de 25 anos de vida, os relatos da historia de ambas, numa escrita acessível, apresentando situações caricatas ou indiscretas de grandes vultos da arte e da escrita da sua época. Alice B. Toklas foi também escritora, apesar de ter vivido sempre um pouco na sombra de Stein. Apesar de ambas terem crescido na Califórnia, apenas se conheceram em Paris, em 1907.


Naquela altura, Gertrude vivia há quatro anos com o seu irmão, o artista Leo Stein, no numero 27 da rue de Fleurus, num apartamento que se tinha transformado num salão de arte, recebendo exposições de arte moderna, e divulgando artistas que viriam a tornar-se muito famosos. Nestes anos iniciais em Paris, Stein estava a escrever o seu mais importante trabalho de início de carreira, Three Lives (1905).


Quando Gertrude e Alice se conheceram, a sua conexão foi imediata, e rapidamente Alice foi viver com Gertrude, tornando-se sua parceira de escrita e de vida. A casa, como se referiu atrás, tornou-se um local de reunião para escritores e artistas da vanguarda da época. Stein ajudou a lançar as carreiras de Matisse, e Picasso, entre outros, e passou a ser uma espécie de teórica de arte, aquela que descrevia os trabalhos destes artistas. No entanto, a maior parte das críticas que Stein recebia, acusavam-na de utilizar uma escrita demasiado densa e difícil, pelo que apenas em 1933, com a publicação da Autobiografia de Alice B. Toklas, é que o trabalho de Gertrude Stein se tornou de facto reconhecido e elogiado.


Alice foi o apoio de Gertrude, foi a dona de casa, a cozinheira, grande cozinheira aliás, vindo mais tarde a publicar algumas das suas receitas, e aquela que redigia e corrigia o que Gertrude lhe ditava. Assim, Toklas fundou uma pequena editora, a Plain Editions, onde publicava o trabalho de Gertrude. Aliás, é reconhecido nesta Autobiografia, que o papel de Gertrude, no casal, era o de marido, escrevendo e discutindo arte com os homens, enquanto Alice se ocupava da casa e da cozinha, e de conversar sobre chapéus e roupas com as mulheres dos artistas que visitavam a casa. Depois da morte de Gertrude, Alice continuou a promover o trabalho da sua companheira, bem como alguns trabalhos seus, de culinária, e um de memórias da vida que ambas partilharam.


Assim, este livro que inspirou o filme “Meia noite em Paris”, de Woody Allen, é um livro a não perder, já nas livrarias em Portugal, pela editora Ponto de Fuga.

Pesquisar mais textos:

Liliana Félix Leite

Título:Autobiografia de Alice B. Toklas, de Gertrude Stein, pela primeira vez em Portugal

Autor:Liliana Félix Leite(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios