Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Origem dos Pastéis de Bélem

Origem dos Pastéis de Bélem

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Alimentação
Visitas: 4
Comentários: 4
Origem dos Pastéis de Bélem

Os famosos e tão conhecidos pastéis de Belém tiveram origem no ano mil oitocentos e trinta e sete em Belém, perto de Lisboa. Nesses tempos a deslocação entre os dois locais, eram ligados a partir de barcos a vapor.

Em Belém os monges do Mosteiro dos Jerónimos, colocaram á venda numa humilde pastelaria junto ao Mosteiro, estes pastéis com o objetivo de manter a ordem e a fim de obter algum dinheiro como forma de sustento. Sendo este espaço uma atração turística, como a Torre de Belém, era imprescindível não provar este doce conventual, da qual ficavam deslumbrados com o sabor. No momento em que se está para saborear tal paladar agradável de açúcar com ovos, coloca-se um pouco de canela e açúcar em pó na sua superfície.




Na época a receita deste doce estava no segredo dos deuses, apenas o pasteleiro do convento e os monges tinham conhecimento, fazendo um voto de silêncio e juramento acerca da receita. O fornecedor Sebastião Alfredo da Silva era quem abastecia os ingredientes para a elaboração do pastel de belém e tinha o armazém perto do mosteiro, na Rua de Belém.

Após a revolução Liberal o mosteiro foi obrigado a fechar, conta-se que o pasteleiro ou os monges venderam a receita ao empresário Domingos Rafael Alves, que levou por sua vez á fundação da Sociedade Portuguesa de Confeitaria, que ainda hoje reside entre os descendentes deste empresário.

A fábrica foi restaurada, sendo conhecida como a antiga confeitaria de Belém, que vem até aos dias de hoje a produzir os melhores pastéis a nível nacional, onde se conta com cerca de quinze mil pastéis ao dia. No seu interior estão cinco salas com azulejos com pastéis, e existe ainda um anexo nesta fábrica onde se pode encontrar a afamada Oficina do Segredo, que não sofreu obras até aos dias de hoje; no seu interior trabalham os pasteleiros que misturam os elementos necessários e nas quantidades exatas para a confeção dos pastéis, artesanalmente e á porta fechada.

Quando a receita foi transmitida aos pasteleiros, estes por sua vez foram levados a assinar um termo de responsabilidade como não divulgavam a receita e colocados sobre juramento, como em outras épocas.


Sandra Mendes

Título: Origem dos Pastéis de Bélem

Autor: Sandra Mendes (todos os textos)

Visitas: 4

702 

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários     ( 4 )    recentes

  • Delene Aparecida RodriguesDelene Aparecida Rodrigues

    23-09-2012 às 05:07:50

    Sou fascinada pelos doces portugueses, em especial os pastéis de Belém. Quando penso em Portugal, o que me vem imediatamente à cabeça é a sua culinária, que acredito ser a melhor da Europa inteira!!!

    ¬ Responder
  • Teresa Maria Batista GilTeresa Maria Batista Gil

    18-09-2012 às 10:04:42

    Os monges e freiras são conhecidos pelas suas famosas receitas de doces e outras iguarias.Os famosos pastéis de Belém não fogem à regra uma vez que a sua receita era segredo dos mesmos.Além de serem famosos os pastéis de Belém são muito apreciados por gente de todo o mundo que ocorre a Belém para os apreciar.

    ¬ Responder
  • Jovita CapitãoJovita Capitão

    17-09-2012 às 17:44:02

    Adoro doces! Então os pasteis de Belém...são fantásticos bem quentinhos e com canela e açúcar por cima.. :)

    ¬ Responder
  • Ana SebastiãoAna Sebastião

    17-09-2012 às 16:58:35

    Realmente, já fiquei com fome... São deliciosos

    ¬ Responder

Comentários - Origem dos Pastéis de Bélem

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Arrendamento Jovem: Porta 65

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Imóveis Arrendamento
Arrendamento Jovem: Porta 65\"Rua
Ouvia-se há uns tempos atrás – Quem casa, quer casa! Tão correcta e tão certa, esta frase mantém-se para tudo e para todos. Mas, como dizia outro alguém, os tempos e as vontades também mudaram, e hoje em dia não é só quem casa que quer casa.

Cada vez mais somos independentes e cada vez mais cedo. Sair de casa e ser independente, gerir a sua vida financeira e emocional está nos planos de muitos jovens. Sós ou acompanhados, partem então para a aventura de viver sozinhos, mesmo que seja na mesma rua onde moram os pais – sempre se janta ao cimo da rua, certo?

Com as oscilações das taxas de juro nos últimos anos, o mercado da casa própria por empréstimo bancário caiu, dando lugar ao mercado do arrendamento de imóveis. Alugam-se mais casas e aquelas que estavam desocupadas há muitos anos, ganharam vida com novos inquilinos e roupa estendida nos estendais.

Entre arrendamentos e jovens, a distância não é muita, mas entre jovens e grande poder de compra a distância é abismal. Mas então como podem os nossos jovens arrendar casa se ganham pouco e saem tarde? A resposta pode vir mesmo de cima e não é do céu.

Há uns anos o Governo Português resolveu criar um sistema que ajuda a apoia ao arrendamento jovem de forma a incentivar á independência, ao arrendamento e ao incentivo aos jovens. Chama-se a Porta 65.

Um dos objectivos é trazer vida a muitas zonas necessitadas de gente jovem e em progresso.

Após a candidatura, o Governo oferece aos jovens habilitados, uma percentagem da renda da casa o que lhes permite um desafogo muito grande.

Mas nem toda a gente se pode candidatar. Para ter direito a este subsídio, não pode candidatar-se a mais nenhum relativamente a arrendamento. Não pode ser proprietário de outro imóvel, nem ter mais nenhum contrato de arrendamento. Tem de ter mais de 18 anos e pode usufruir até aos 30. Acima de tudo é obrigado a ter um contrato de arrendamento legal, com imposto de selo da Repartição de Finanças pago e o imóvel não pode ser de nenhum familiar directo.

Estes são apenas alguns requisitos (existem mais uns quantos) exigidos aquando a candidatura. Os documentos podem ser apresentados via internet e depois é esperar pela resposta.

Apesar deste apoio ser importante e fundamental para muitos jovens, a verdade é que é muitas vezes complicado. Arrende sem contar com isto, mas nunca deixe de se candidatar.

Pesquisar mais textos:

Carla Horta

Título:Arrendamento Jovem: Porta 65

Autor:Carla Horta(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Rua DireitaRua Direita

    05-05-2014 às 21:37:31

    Que bom saber desa forma de incentivo aos jovens em morar sós. Essa porta 65 parece ser bem interessante, a Rua Direita agradece pelas informações. Acredita-se que muita gente não sabe.

    Cumprimentos,
    Sophia

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios