Bem vindo à Rua Direita!
Eu sou a Sophia, a assistente virtual da Rua Direita.
Em que posso ser-lhe útil?

Email

Questão

a carregar
Textos | Produtos                                                    
|
Top 30 | Categorias

Email

Password


Esqueceu a sua password?
Início > Textos > Categoria > Alimentação > Alimentação Saudavel Em Tempo De Crise

Alimentação Saudavel Em Tempo De Crise

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Categoria: Alimentação
Alimentação Saudavel Em Tempo De Crise

Numa altura de contenção de custos, também a alimentação corre o risco de cortes orçamentais. Muitas vezes pensamos que é caro fazer uma boa alimentação. Achamos que comer hambúrgueres e 'pizzas' é mais barato. Mas essa é uma noção errada tanto para a carteira como para a saúde, explica o conceituado nutricionista Humberto Barbosa.

Um hamburguer dos mais baratos custa um euro, enquanto uma banana custa 20 centimos. A diferença nutricional é enorme. Mas vamos mesmo perder a cabeça e comprar também um iogurte liquido por 50 centimos. Contas feitas, são 70 centimos por uma pequena refeição saudável, com bons niveis glicémicos, vitaminas e minerais.

Vamos dar outro exemplo bastante comum: uma 'pizza'comprada pronta custa seis ou sete euros por pessoa. Contudo, seis ou sete euros convertidos em alface e tomate dá para várias refeições.

Por cerca de um euro por pessoa consegue ter uma boa salada de alface, milho, maça, cogumelos, azeitonas, espargos, ovo e queijo fresco. Outra opção é fazer uma salada de atum: uma lata custa 59 centimos, e uma lata de grão-de-bico ou feijão-frade fi ca a cerca de 40 ou 50 cêntimos. Junte um pouco de cebola picada e salsa e tempere com azeite e vinagre e tem uma refeição excelente.

Relativamente as bebidas (embora seja aconselhavel não beber durante a refeição), sai tão caro, ou talvez mais barato, fazer um sumo de laranja natural do que beber um refrigerante ou café. Esprema uma laranja, acrescente água fresca, e tem uma bebida saudável.

E trabalhar fora de casa também não é desculpa para comer mal, porque em vez de um hamburguer por um euro, pode pelo mesmo preço ter uma sopa de legumes.

Comer fora de casa ou usar comida pronta fica sempre mais caro e é normalmente menos saudável do que confecionarmos a nossa própria comida, com ingredientes frescos e naturais. Feitas as contas, a matemática não engana e comer bem custa menos do que comer mal, remata assim Humberto Barbosa, especialista em nutriçao e longevidade.

Ter uma alimentação saudável custa mais a nivel psicológico do que própriamente monetário.
Inventamos todas as desculpas para justificar aquilo que acabamos de comer e sabemos que nos faz mal. É preciso coragem e força de vontade para conseguirmos mudar os nosso hábitos alimentares. Por isso, é preferivel irmos mudando aos poucos a nossa alimentação, tendo em mente que se esta for equilibrada podemos de vez em quando cometer disparates e isso ajuda de certa forma a ultrapassar aquela 'gula' que nos ataca regularmente.

Com o tempo o nosso organismo vai-se habituando a uma alimentação mais leve e os dias começam a ser menos penosos.

Se aliarmos uma alimentação saudável ao desporto, é um passo para melhorarmos a nossa qualidade de vida e nos sentirmos melhor seja a nivel físico ou psicológico, porque o nosso estado de espirito positivo aumenta a nossa auto-estima e a vida certamente comecerá a correr-nos melhor.

O Primeiro passo é começar já, pois o maior obstáculo é estarmos constantemente a adiar a situação.


Cristina Queiros

Título: Alimentação Saudavel Em Tempo De Crise

Autor: Cristina Queiros (todos os textos)

Visitas: 0

636 

Comentários - Alimentação Saudavel Em Tempo De Crise

voltar ao texto
  • Avatar *     (clique para seleccionar)


  • Nome *

  • Email

    opcional - receberá notificações

  • Mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios


  • Notifique-me de comentários neste texto por email.

  • Notifique-me de respostas ao meu comentário por email.

Um sinal de compromisso

Ler próximo texto...

Texto escrito nos termos do novo acordo ortográfico.
Tema: Jóias Relógios
Um sinal de compromisso\"Rua
Exibir uma aliança de compromisso é, frequentemente, motivo de orgulho e, quando se olha para ela, vai-se rodando-a no dedo e fica-se com aquela expressão ridícula na cara.

Uma questão se coloca: qual a razão de estas alianças de compromisso serem tão fininhas: será porque os seus principais clientes, os jovens, são sujeitos de poucas posses (tendendo as mesadas a emagrecer ainda mais com a crise generalizada) ou porque esse compromisso, não obstante a paixão arrebatadora, é frágil e inseguro?

Sim, porque aqui há que fazer cálculos matemáticos: x compromissos vezes y alianças…com um orçamento limitado sobre um fundo sentimental infinito…

Depois, importa perpassar os tipos destas alianças. Há as provisórias, que duram em média quinze dias; há as voadoras, que atravessam os ares à velocidade da luz quando a coisa dá para o torto; há as que insistem em cair do dedo, sobretudo em momentos em que ter um compromisso se revela extremamente inoportuno; e depois há as residentes, que uma vez entradas não tornam a sair.

Os pombos-correios usam anilhas onde figuram códigos que os identificam. Talvez não fosse completamente descabido fazer umas inscrições deste género em algumas alianças de compromisso por aí…

Só para ajudar os mais esquecidos a recordarem a que “pombal” pertencem.

Pesquisar mais textos:

Rua Direita

Título:Um sinal de compromisso

Autor:Rua Direita(todos os textos)

Alerta

Tipo alerta:

Mensagem

Conte-nos porque marcou o texto. Essa informação não será publicada.

Deixe o seu comentárioDeixe o seu comentário

Comentários

  • Luene ZarcoLuene

    22-09-2014 às 05:46:10

    Um sinal de amor e lealdade perpétua! Adoro ver os vários modelos de aliança! Vale a pena escolher uma bem bonita!

    ¬ Responder

Pesquisar mais textos:

Deixe o seu comentário

  • Nome *

  • email

    opcional - receberá notificações

  • mensagem *

  • Os campos com * são obrigatórios